• Colabora

Como a cultura das Startups beneficiam a transformação digital


Transformação digital vem sendo um dos temas mais comentados no mundo dos negócios nos últimos anos. E uma das consequências óbvias da atual pandemia da COVID-19 é a aceleração substancial desse processo nas empresas e no mercado. Atualmente as organizações tradicionais precisam fazer uma escolha entre inovação ou a extinção.

Mas uma análise mais cuidadosa nos permite concluir que este não é um processo tão fácil quanto parece. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard mostrou, que em 2019, mesmo antes desse contexto em que vivemos, a transformação digital era o principal fator de preocupação dos CEOs e executivos das grandes empresas, mas que apesar disso, 70% dos esforços em transformação digital não alcançaram os resultados desejados. Para se ter uma ideia, aproximadamente 900 bilhões de dólares foram investidos, sem sucesso, em transformação digital dentro de algumas das maiores empresas do mundo.

Qual é então a diferença entre as empresas que têm sucesso e as que fracassam no processo de TD?

Quando me vejo frente à questões tão delicadas e interessantes, é de extrema importância que sejamos capazes de responder duas perguntas:

  • Qual é o problema que estamos tentando resolver?

  • O que as empresas que já tiveram sucesso têm em comum?

Podemos concordar que, de maneira simplificada, o objetivo em comum das empresas que desejam realizar a transformação digital é desenvolver processos mais ágeis e novas capacidades para criar novas e melhores experiências para os seus clientes.

E quando olhamos para as empresas que conseguiram alcançar estes objetivos, como a Magalu, Netflix e várias outras. É possível observar que existe uma mentalidade comum entre elas. Todas acreditam que a transformação digital é mais sobre pessoas do que sobre tecnologia.

E é exatamente esse o pilar das organizações que conseguem não apenas se adaptar às mudanças culturais, mas também liderar essas mudanças.

Acredito que 5 lições que podem ter muito valor para o futuro de qualquer organização que deseja ser relevante na era digital.

Lição 1: tenha clareza da sua estratégia e do seu objetivo antes de investir em tecnologia

Não é o bastante investir em machine learning ou em inteligência artificial para “melhorar a eficiência organizacional”. É preciso objetivos claros e um plano estratégico de quais problemas você pretende resolver e de como você pretende fazer isto. As tecnologias existem e estão cada vez mais acessíveis e com mais aplicações. Mas para que esse processo seja eficaz, é preciso decidir qual é o foco da sua empresa. A melhor ferramenta que eu já encontrei para isso é traçar a jornada completa do seu cliente, em cada ponto de contato com a sua empresa, entender quais são os pontos de atenção e o que é possível fazer para melhorar a experiência em cada etapa.

Lição 2: a transformação digital começa de dentro para fora, e de cima para baixo

Os colabores da sua empresa naturalmente terão preocupações como a de ser substituído e de não se adequarem aos novos processos. Essas questões não podem ser ignoradas e são naturais. É preciso deixar as intenções da organização claras e comunicá-las com a maior frequência possível. A transformação digital começa de dentro para fora, não adianta contratar um exército de consultores antes de vender a ideia para o seu time. Encontre o grupo de pessoas que acredita nessa mudança, que sabe da importância de se adaptar às novas tecnologias e que está disposto a aprender novas coisas pelo bem do negócio e trabalhe com essas pessoas, inicialmente, para ganhar aceitação e espalhar a ideia.

Um outro ponto imprescindível é o alinhamento das lideranças, uma vez que as lideranças da sua empresa não estão se comunicando e, o mais importante, agindo de acordo com a nova realidade, todas as outras pessoas irão se tornar céticos quanto a todo o processo.

Lição 3: toda a energia e todo o foco devem estar voltados na geração de valor para o cliente final

Todas as decisões tomadas devem ser pautadas na geração de valor. Isso vai fazer a vida do meu cliente melhor? Se a resposta for não, provavelmente não é uma boa ideia apostar nisso. A tecnologia deve estar a serviço desse objetivo. Sempre.

E é imprescindível lembrar que valor é determinado pelo seu cliente, não por você. O mercado vai dizer se as ações estão obtendo ou não sucesso. E essa é a importância de tomar decisões baseadas em dados.

As melhores empresas digitais tem um pulso do mercado em tempo real, a todo momento. Elas coletam e analisam dados (quantitativos e qualitativos) e usam as descobertas para tomar melhores decisões, para otimizar seus produtos, seus processos e para se tornarem cada dia mais eficientes.

Lição 4: é impossível vencer sem a cultura certa

O filósofo de negócios Peter Drucker disse:

“A cultura come a estratégia no café da manhã.”

Essa é a importância de ter a cultura empresarial correta. A transformação digital é uma mudança completa de paradigma, uma nova perspectiva de negócios, de produto, de clientes, de valor. E não adianta ter a estratégia perfeita se a sua cultura não apoia essas mudanças.

É por isso que a cultura de Startup tem ganhado cada vez mais importância no mercado.

Startups são empresas que, por definição, operam com alto nível de incerteza em busca de um modelo escalável. Por isso precisam ser altamente ágeis, adaptáveis e receptíveis a mudanças. E todas essas características são fundamentais para um processo bem sucedido de transformação digital em qualquer empresa.

Empresas que possuem grandes objetivos na era digital precisam entender, o quanto antes, a importância da agilidade como parte do seu DNA. De criar estruturas que beneficiam a adaptabilidade e de correr riscos calculados. Porque daqui para frente, a única constante será a mudança.

Quem for capaz de evoluir mais rápido irá sobreviver, todas as outras ficarão pelo caminho. A escolha é sua.


Gustavo Caetano

Samba Digital

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo